CONTATO

whats fundo branco.png

Asa Norte, Brasília - Distrito Federal 

REDES SOCIAIS

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • LinkedIn - White Circle

ENVIE UMA MENSAGEM 

©Navegar Consultoria - Consultoria em Gestão Organizacional. Todos direitos reservados.

whats fundo branco.png
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • LinkedIn - White Circle
Buscar

Marketing 1.0, 2.0, 3.0 e 4.0


Da série #tendências

Muitas pessoas têm percebido a mudança na comunicação e nas ações de marketing, então trouxe um pouco do que está acontecendo e algumas tendências.


Há alguns anos, alguns autores fizeram uma previsão sobre as tendências e a teoria mais próxima foi a do Marketing 1.0, 2.0, 3.0 e 4.0. Que são classificações do processo de desenvolvimento do marketing de acordo com as influencias sociais e mercadológicas de cada época. Philip Kotler trouxe uma idealização sobre a teoria, mas com a influência social, o marketing foi além do que o esperado.


Para explicar melhor, vamos fazer um apanhado histórico?

  • Marketing 1.0

Quem lembra dos carros de antigamente? Eram produtos únicos, não tinham muitas opções no mercado e com isso, não tínhamos escolha. Cada produto era uma fortuna e as propagandas eram voltadas para os sentimentos e experiências que o cliente teria com o produto. Foco no produto.

  • Marketing 2.0

Depois de um tempo, com a diminuição do custo da produção, tivemos muitas opções de produtos com preço mais baixo. Uma produção em massa de tudo e a diferença nos produtos eram os benefícios que acompanhavam a venda. Como exemplo, na época dos celulares as operadoras distribuíam aparelhos como se fosse de graça e cobravam por serviços diferenciados com pacotes de mensagem, plano de ligações...

Com tanta diversidade e benefícios, os clientes começam a escolher e dão referencia para produtos que atendem suas expectativas.

  • Marketing 3.0

Surgem então, as personalizações dos produtos e serviços. O cliente procura empresas que atende o que é importante para ele, dando oportunidade para os negócios desenvolverem produtos e valores direcionados para nichos de mercado. O cliente começa se preocupar com os bastidores dos negócios e com os seus valores, a consciência social começa a se destacar. A sociedade toda diz “não” para qualquer tipo de “desconforto” que envolve o humano, os seres ou o ambiente. Ressurgem os pequenos negócios para atender o público local e com qualidade. As empresas se sentem obrigadas a fazer ações com o tema responsabilidade social. (mesmo sem saber qual o motivo, ou qual "retorno").

As ferramentas de comunicação estão a todo vapor, mas a sociedade ainda não sabe lidar com isso e tenta reprimir.

  • Marketing 4.0

E o que acontece quando juntamos tudo isso com a facilidade de se comunicar com qualquer pessoa? Chegamos no Marketing 4.0 onde a responsabilidade social fala mais alto que todos os valores. Os negócios precisam se reinventar, porque não basta falar que faz e nem ter um design bonito. As empresas precisam atuar nos seus valores, ser comunidade, estar junto com o cliente. E o cliente está mais firme de suas convicções, mais exigente pela justiça e é crítico e intolerante com a falta de respeito. Não tem como ignorar ou reprimir a comunicação pela internet. A sociedade vira um "transmissor" de informações, usando todos os meios disponíveis para lançar as informações que acha relevante. Estão surgindo uma grande quantidade de pequenos negócios personalizados via web.

Veja sobre o #EstudoDeGerações adaptado para o Brasil, feito pelo Joel Dutra da USP e complemente seu conhecimento em relação a #tendência.

Um exemplo interessante de comunidade, é o exemplo da Cif - empresa de produtos de limpeza, que queria entrar no mercado na Romena, mas não conseguia competir com as marcas tradicionais e dominantes. Então ela começou a estudar as necessidades da população e percebeu que existia uma "briga" entre os antigos habitantes e as pessoas que foram repatriadas. Os muros tinham palavras de preconceito, ofensas e terrorismo. Com algumas pesquisar para escutar a comunidade, percebeu que esses novos habitantes estavam muito reprimidos, tinham receio de levar as crianças para as ruas, ou frequentar espaços públicos. As crianças não entendiam as palavras de ódio que estavam sendo ditas. Com isso a empresa decidiu criar uma forma de "ajudar" a comunidade e criou um aplicativo para que os moradores indicassem os grafites que mereciam ser removidos. E a empresa "com seus produtos de limpeza" limparam todas as ofensas indicadas. Essa campanha não foi inovadora, porque em outros países algumas empresas já tinham implantado um aplicativo parecido. Mas nesse caso, teve uma ótima sintonia - a comunidade foi acolhida e compreendida, e campanha foi muito bem aceita.



Existem vários exemplos de novas campanhas que buscam seguir o novo conceito de marketing.

Por exemplo:

  • Unilever fez um vídeo para mostrar que também está integrada à consciência social. E também influenciou no despertar da consciência de que as "coisas" estão caminhando de uma forma diferente na sociedade.

  • Volvo criou pequenos filmes em série, que quase não mostra a marca mas relaciona o nome com valores importantes como: tecnologia, inovação e a superação humana para conseguir conquistar um objetivo.

Veja os vídeos:


Unilever


Volvo - Capitulo 5:

"Tudo o que Rosemary Johnson já sonhou era tornar-se um violinista profissional. Em 1988, Rosemary se envolveu em um acidente de carro e sofreu uma lesão na cabeça devastadora, roubando-a de fala e movimento. Agora, vinte e oito anos depois, ela está aprendendo a fazer música de novo, usando apenas o poder de sua mente."